Blog - Espaço Leboyer

10 mar 2020

Dúvidas frequentes sobre o primeiro brinco da bebê

O primeiro furo da orelha da bebê é sempre um momento muito especial para toda a família, afinal o brinquinho deixa a menina ainda mais linda e delicada, mas saiba que hoje existem uma série de cuidados e exigências determinados pela ANVISA, para que o primeiro furo da orelha da bebê seja realizado de forma segura e o mais importante, por um profissional especialista e habilitado. Veja algumas dicas importantes de uma Enfermeira especialista em colocação de brincos em bebês, a serem consideradas na hora de decidir furar a orelhinha da bebê:

Qual a idade mínima para colocação de brincos em bebês?
Ainda não existe um consenso dos especialistas de quando é o momento ideal para colocar o brinco no bebê. Alguns pediatras pedem para aguardar até o 2º mês de vida, outros liberam logo após o nascimento. Portanto, antes de furar a orelha da sua bebê, converse com o Pediatra da criança.

Qual profissional pode furar a orelha da bebê?
Hoje em dia além dos farmacêuticos, uma excelente opção é contratar uma Enfermeira especialista na área de Pediatria ou Neonatologia para colocar à domicílio. As Enfermeiras possuem o conhecimento necessário para uma técnica de alto rigor de higiene e fazer o furo da orelha em casa é bastante recomendado pelos Pediatras hoje em dia, pois reduz o risco de infecção e evita levar a bebê em locais movimentados e com grande circulação de pessoas. Independente da sua escolha, sempre verifique se o profissional contratado é certificado e habilitado para tal técnica.

Existe alguma contra-indicação para colocar o primeiro brinco na bebê?
O ideal é que a bebê ou criança não esteja com febre ou resfriada. Caso você tenha alguma viagem para praia agendada, indicamos que coloque o brinco após a viagem, evitando assim o contato com água do mar ou piscina até a cricatrização do furo da orelhinha. Alem disso, bebês com problemas de coagulação ou outros problemas de saúde devem realizar o procedimento somente após liberação do Pediatra.

Os bebês sentem dor?
Sim, os bebês sentem dor. E este é um dos maiores motivos pelos quais os pais adiam colocar o brinco na bebê até que ela fique grande e decida por si mesma. Outro ponto importante de se destacar o trabalho de Enfermeiras que realizam o procedimento em casa é que elas utilizam pomada anestésica, evitando assim que o bebê sinta dor. Nos meus atendimentos, por ser Enfermeira, utilizo uma técnica delicada e praticamente indolor para a perfuração. Às vezes o bebê está dormindo quando realizamos o furo e acreditem, alguns nem sequer acordam!

O aparelho utilizado por Enfermeiros é o mesmo da Farmácia?
Não. A antiga “arminha” ou “pistola” não é mais recomendada, por prejudicar a audição dos bebês. Existem dispositivos modernos utilizados por Enfermeiras que são silenciosos, precisos, rápidos e sem contato manual, indicados especificamente para a colocação de brincos em crianças e bebês, desde recém nascidos.

Posso furar com o brinco que ganhei / comprei?
Não. A perfuração com brinco próprio está proibida pela ANVISA. Se você encontrou um profissional que aceita fazer com brinco pessoal, sem estar devidamente esterelizado, este profissional não está seguindo as novas recomendações e isso pode trazer sérias complicações para a saúde da bebê.

Quanto tempo devo esperar para trocar o brinco?
Após perfuração com brinco adequado para bebês, você deve aguardar pelo menos 60 dias para realizar a troca do brinco, após a cicatrização do furinho.

Ainda colocam brincos em Hospitais e Maternidades?
Não. Esta prática foi poibida pela ANVISA devido ao alto risco de infecção para os bebês recém nascidos.


Postado por Cindy Ferrari

Consultora Materno Infantil, Enfermeira pós graduada em Pediatria e Neonatologia pela USP, especialista em diversos Cuidados Naturais para mães e bebês. Cindy Ferrari é mãe do Pedro e do Lucas, idealizadora e fundadora do Espaço Leboyer de Apoio Materno Infantil.

Categorias

Buscar

Receba notícias